default-logo
O Caminho da Fé ao longo de seus anos de desenvolvimento identificou necessidades que não poderiam ser subsidiadas com recursos de manutenção da Instituição, devido à dimensão das necessidades, como por exemplo a aquisição dos veículos, a instalação de placas nos mais de 990 km que a trilha possui atualmente. Desta forma a Instituição se organizou para busca de recursos que subsidiariam essas necessidades através da elaboração de projetos.

O primeiro Projeto ao qual o Caminho da Fé foi contemplado, foi o Projeto aprovado pela Fundação Banco do Brasil- FBB no ano de 2004, logo no início de estruturação da trilha. Esse recurso auxiliou na estruturação inicial do Caminho, contando com sinalização da trilha, material de promoção e o veículo que daria suporte na manutenção e estruturação da rota.

Ao longo dos anos novas ideias e projetos foram desenvolvidos e novamente em 2015, o Caminho da Fé foi contemplado com recursos da FBB. O projeto subsidiou a reestruturação da sinalização, aquisição de um novo veículo, cursos de capacitação para os meios de hospedagem parceiros, além de ações e produtos adquiridos que possibilitaram a estruturação no sistema de Gestão da AACF.

Diante este novo cenário que o Caminho da Fé se encontra, acreditamos que a área de projetos no Caminho da Fé é fundamental para que o desenvolvimento continue sendo fomentado através deste produto que é para muitos a solução de permanência e posicionamento no mercado.

Objetivo na área de Desenvolvimento de Projetos

Potencializar o turismo da região por meio de ações que permitam melhorar a qualidade dos serviços, da infraestrutura, logística turística e dos empreendimentos da Economia Solidária dos municípios de São Paulo e Minas Gerais que integram a Trilha do Caminho da Fé.

Caracterização da Rota e Suas Necessidades

A Trilha Caminho da Fé estende-se de Águas da Prata (SP) a Aparecida (SP) e ainda conta com 05 ramais (Sertãozinho, Mococa, São Carlos, Aguaí e Caconde) que convergem para onde surgiu a rota, cidade sede da Entidade – Águas da Prata – totalizando cerca de 990Km, configurando-se como uma iniciativa de oportunizar a geração de trabalho e renda na cadeia do ecoturismo, fortalecendo os empreendimentos da Economia Solidária dos municípios que integram a trilha.

O Caminho da Fé enquanto Rota de Peregrinação possui uma Instituição que rege o seu funcionamento assim como articula e intermedia projetos que atendam suas necessidades. Investimentos na estruturação do percurso, diagnósticos e levantamentos, oficinas de capacitação profissional, sinalização e manutenção da trilha são algumas das necessidades latentes nas localidades por onde a Rota passa e servem de base para planejamento de longo prazo e buscam definir quais ações são necessárias para consolidar o produto turístico em nível internacional.

Neste contexto é possível atender diretamente as necessidades dos produtores rurais e envolvidos no que se refere à capacitação técnica, infraestrutura básica e infraestrutura turística em cada município, transformando o caminho em uma rota segura, atrativa, preservada e economicamente viável para quem dela recebe o seu sustento.

Em particular a sinalização e a divulgação da Trilha permitem o crescimento do roteiro em si, reverberando na economia dos municípios que recebem milhares de peregrinos. Tal impacto na economia no entorno do Caminho já pode ser percebido com o surgimento de pousadas, restaurantes, na inclusão sócio produtiva da cadeia do Turismo e abrem-se oportunidades à novos empreendimentos.
Após treze anos de experiência e com um público com desejo cada vez maior em se reconectar, o Caminho da Fé conta com equipe capacitada e atenta ao desenvolvimento do turismo, especificamente nos segmentos ecológico e religioso, em franca expansão com a existência da trilha e na crescente participação de peregrinos do Brasil e de outros países.

Com o crescimento de participantes, peregrinos com as mais diversas idades, vindos de distantes lugares e que desconhecem a região, torna-se necessário o constante investimento em: mídia para divulgar e preparar os peregrinos, bem como para fortalecer os empreendimentos localizados ao longo do caminho a ser percorrido e que, logicamente, devem estar preparados para receber esta massa humana que, sazonalmente, impacta vários serviços para suprir suas demandas naturais e capacitação profissional para preparar os empreendimentos em técnicas hoteleiras e em “bem receber”.

Assim, investir na modernização, na atualização, na formação e na reestruturação da infraestrutura turística tem o objetivo de potencializar a geração de Trabalho e Renda, o desenvolvimento integrado dos territórios abrangidos e no fortalecimento dos empreendimentos solidários, urbanos e rurais, surgidos e potencializados com o crescimento do Turismo na região, em virtude da existência da trilha do Caminho da Fé.

Todo nosso trabalho só é possível devido ao envolvimento de nossos parceiros através de trabalhos voluntários, doações, patrocínios e captação de recursos em projetos, advindos da relação de confiança, credibilidade, comprometimento e capacidade técnica que a Associação possui.