default-logo

Caminho da Fé por um gordinho fora de forma

Salve amigos

Não se assustem o título esta correto he he he

Terminei ontem (19/08/2015) o caminho da Fé. Iniciei em Águas da Prata e foram + ou – 318 kms em 12 dias. Iniciei dia 08/08/2015 e a proposta inicial era terminar em 15 dias com um dia de folga. Meus amigos e familiares iriam de carro até Aparecida do Norte me buscar e já visitariam a Basílica. Como já cheguei iremos todos de carro dia 23/08/2015.
Fui muito bem recebido pela Dna Tina em Águas da Prata e já fiz amizade com dois senhores que estavam na pousada. Dois outros chegaram de madrugada e as 6:00 hs saímos todos juntos. Na primeira subida terminei com o coração batendo na garganta e o pulmão implorando por oxigênio. Os outros quatro senhores pretendiam fazer o caminho todo em 8 dias e após a primeira descida e depois de te-los acompanhado no terço despedi-me e diminui meu ritmo.
O primeiro dia foi marcado por uma tremenda falta de água e uma descida terrível até Andradas.

Levem o mínimo de 2 litros de água e preparem-se para a descida até Andradas (tem subidas também, e bastante he he).

Andei por 5 dias sozinho, de forma lenta e tranquila mas, com muitas dores no joelho esquerdo. As subidas são cansativas mas, são as descidas que podem lhe tirar da caminhada.
Em Tocos do Mogi conheci um pessoal que estavam com uma caminhonete de apoio e ofereceram para levar minha mochila. Foi minha salvação já que estava decidido a voltar. Com muitas dores no joelho, cansado, com saudades de casa, quase desisti.
Com o peso da mochila a menos a caminhada ficou mais “fácil” e pude seguir no caminho.
Enfrentei muitas dificuldades mas a fé e os novos amigos (verdadeiros anjos) me incentivaram a continuar. A subida de Luminosa à Campos do Jordão tem um desnível de mais de 800 metros e separa o joio do trigo.

Em Luminosa suba até a pousada da Dna Inês. São 4 kms após Luminosa morro acima. No dia seguinte saia cedo pois, ainda falta muito do morro para subir até Campos do Jordão.

Em Campos do Jordão seguimos de ônibus até a estrada de Pedrinhas. Alguns podem achar que é uma “trapaça” seguir de ônibus um pedaço do caminho mas, a estrada que leva ao horto de Campos do Jordão é estreita, movimentada, sem acostamento e quando dois veículos grandes se cruzam não há espaço para o peregrino, ou seja, um perigo termendo que não aconselho a ninguém. O caminho por Pedrinhas também é fora da rota do Caminho da Fé mas, de Campos do Jordão à Pindamonhangaba e até Aparecida do Norte é praticamente todo por asfalto e por pedrinhas é de terra e arborizado com trechos pequenos de asfalto. Quase todos que conhecem os dois caminhos optam pelo de Pedrinhas. Estas informações nos foi dada pelo Sr. Pedro que já fez o caminho 13 vezes (treze vezes mesmo ok). O Sr. Pedro foi um dos 18 que fizeram o caminho no primeiro ano.
De Pedrinhas à Aparecida do Norte são 19 kms, saímos as 6:00 hs e chegamos as 9:45 hs na Basílica.
Como a missa das 9:30 hs já tinha começado resolvemos os “trâmites” na secretaria da basílica, visitamos a imagem de Nossa Senhora Aparecida (chorei um tantão he he). Assistimos a missa das 10:30 hs e voltei para Andradas de carona com os “anjos” que me ajudaram no caminho. Peguei um ônibus até São João da Boa Vista e meu filho, minha mulher e um casal de amigos foram me buscar em São João. Ás 21:30 estávamos comendo uma batata recheada já em Mococa.

Não se enganem o caminho é difícil, principalmente para um cara de 52 anos, 1,85 mts e 100 quilos mas, não é impossível se for com calma e fé.
Os amigos que me acompanharam depois de Tocos do Mogi são peregrinos experientes que já fizeram muitos caminhos no Brasil e no mundo. O Sr. João fez 1500 kms no Caminho de Santiago (estendeu até outros pontos na Europa). Com todo esse conhecimento afirmam que o Caminho da Fé é, talvez, o mais difícil de todos portanto, se terminar o caminho da fé muito provavelmente estará preparado para todos os outros.

Em todo o caminho fui muito bem recebido e atendido pelos hotéis e pousadas mas, não deixem de passar pela pousada da Dna Natalina na Serra dos Lima onde fiquei no primeiro domingo e na pousada da Dna Inês em Luminosa.

As recomendações em relação à calçados e roupas e o que levar já foi exaustivamente discutido em outros tópicos. Faça sua mochila com o mínimo possível, qualquer item deve ser muito bem pensado. Espalhem todos os itens e elimine o que achar desnecessário mas, sejam bastante criteriosos, um frasco de shampoo, mesmo para uma mulher de cabelos compridos, é totalmente desnecessário se você tiver que carrega-lo mas, uma lanterna não.

Força, foco e muita fé em Deus e Nossa Senhora.

 

Por José Claudio

Deixe uma mensagem

*